Primeiro Post – Trabalho de Equipe

“Trabalho de Equipe!”

Parece apenas um jargão importado das quadras para o mundo corporativo, daqueles que usamos quando batemos uma meta ou quando emplacamos um projeto campeão.

Um grande amigo repetia insistentemente que um grande gestor depende apenas de uma grande equipe. Que um gestor com uma equipe fraca é incapaz de alcançar as suas metas, e ia além, afirmando que um gestor ruim com uma excelente equipe poderia alcançar algum sucesso também. Demorei um certo tempo para sentir na pele aquilo que ele dizia, mas fazendo uma retrospectiva da minha vida profissional (e de meus resultados) vejo que tive o privilégio de liderar equipes fantásticas.

Não interessa o brilhantismo, inteligência, carisma, a eloquencia no discurso de um gestor se a equipe não trabalhar junto, se a equipe não acreditar. Muitos gestores planejam muito bem, são considerados visonários, inteligentes, de bom caráter, ou até mesmo excelentes técnicos ao asssumirem o desafio de liderar pessoas, mas nem todos conseguem formar equipes que consigam performar.

Então onde está o pulo do gato. Ele não existe! Trabalhar em equipe, e porque não dizer gerenciar equipes de alta performance, exige apenas uma grande característica, gostar de gente. Isso mesmo, gostar de pessoas, respeitá-las e trabalhar junto. Trabalhar junto é fundamental. Um gestor que fica atrás da mesa ditando regras que ele não segue levará a equipe ao fracasso.

Como disse antes – sou um privilegiado! Trabalhei com profissionais fantásticos que me ensinaram muito, e procurei em todos os momentos trabalhar junto.

E espero que este blog seja um espaço para aprendizado, troca de idéias e porque não dizer, mais um espaço trabalharmos junto e desenvolver um novo tipo de “trabalho de equipe”.


14 comentários sobre “Primeiro Post – Trabalho de Equipe

  1. Como espero continuar sendo a pessoa a questionar os métodos de gestão capitalista que passei 9 meses ouvindo meu chefe defender, ao ler seu primeiro post, confirmo minha teoria de que você é apenas um proletario que quer ser capitalista, mas que no fundo é um materialista dialético, e até certo ponto, é um marxologo sem saber.

    Concordo contigo ao dizer que é preciso acreditar em gente, nas pessoas. Aliás essa é uma das frases mais famosas do CHE durante a revolução cubana, quando questionado se acreditava em Deus, ele respondeu que “acreditava no homem”.

    No entanto, apesar de também acreditar no homem, ao fazer uma analogia com o cenário esportivo, e considerando a sociedade do capital em que vivemos, é impossível não considerar a competição, comum nos desportos, mas que nesse caso, ultrapassa os espaços esportivos.

    Para um capitalista, a competição é fundamental. Talvez, até para um materialista dialético isso também seja verdade. Porém, ao ler suas considerações, gostaria de questionar o que fazer quando a competição dentro de uma equipe composta por pessoas conscientes ou alienadas, inteligentes ou burras, capitalistas ou comunistas é estruturada por elementos futéis e individuais, que não são nada mais do que um insegurança pessoal de cada um.

    Se a equipe é de sucesso, é fantástica, ou não supera as expectativas, até que ponto a competitividade é saudável?

    E do ponto de vista, ético, moral e civilizador, como lidar com essa competição exarcebada de membros de uma equipe que não se compreendem como atores sociais do ambiente em que vendem sua força de trabalho e muito menos tem consciencia de que suas atitudes alienadoras, estão ligadas a vida de outras pessoas?

    1. Carine – Essa é um excelente discussão. Mas meu foco foi outro.
      Façamos um paralelo do jogo corporativo com esportes coletivos, como futebol ou melhor volei. Impossível ganhar um campeonato se o levantador não distribuir bem as bolas, alterar jogadas, sempre visando o objetivo comum, ou seja ganhar o jogo. Considero o mundo dos negócios uma competição entre equipes e não individual.

      Assim como uma timpe, para se ganhar no jogo de negócios acredito que precisemos de vários colaboradores com habilidades diferentes e específicas, buscando um objetivo comum. Essa para mim é uma competição saudável. Independente do gerente (ou técnico) o objetivo de atingir metas de curto, médio e longo prazos devem ser comuns. E quando um membro da equipe começa a querer jogar sozinho, competir com os próprios membros da equipe para aparecer mais dos que os outros, tomando atitudes pouco éticas, minha experiência me diz que a própria equipe se encarrega de isolar ou deixar com que este profissional siga seu caminho sozinho, e garanto a você que da mesma maneira com que acontece no mundo dos esportes, é impossível vencer um jogo sozinho.

      Mas acredito também que a responsabilidade por este tipo de atitude vem da própria cultura organizacional, influenciada por problemas de comunicação, deficiência no modeoo de metas coletivas, entre outros…resumindo, em minha opinião, para lidar com uma competição pouco saudável o melhor remédio são metas claras e coletivas bem distribuídas.

  2. Belissima iniciativa! Conte comigo. Precisamos de blogs de qualidade, sem críticas a terceiros, mas construtivos, que nos façam pensar, deixando lacunas no discurso para que, depois de ler, possamos refletir e crescer. Abraço!

  3. Legal é saber que faço parte dos caras que de uma forma ou de outra esteve por perto em algum momento.
    Admiro muito seu perfil profissional e ainda precisarei muito de sua capacidade de liderar equipe.
    Parabéns pelo blog e como você mesmo diz: QUEBRA TUDO MEU GAROTO… abração…

  4. Parabens pelo seu blog , q vc tenha muito sucesso e continue acreditando em vc e não mude as suas atitudes …..

  5. Chefe..sempre chefe!
    Nos transformamos em pessoas melhores, profissionais respeitados, desenvolvemos habilidades, praticamos as dificuldades, amenizamos os problemas…mas ca pra nos.. nada como ter uma equipe parceira… q abraça a causa e segue! Isso é sucesso. Mesmo quando as opiniões são diferentes, juntos, trabalhamos e seguimos ou melhor perseguimos nossas metas. Um prazer ter vc como gestor, parceiro de trabalho… grande amigo!

  6. Esse será meu eterno líder!!!! Trabalhar com você é isso… palavras coerentes… atitudes coerentes!!! Espaço excelente para trocar idéias.
    Sucesso sempre.

    Fernanda Barros

  7. Grande Leandro!
    Realmente compartilhar nosso ponto de vista com o mundo é uma grande paixão! Parabéns pela inciativa!

    Mais do quer uma grande equipe é formar líderes! A Carine ressaltou um ponto importante: uma equipe tem que estar baseada no amor, compaixão e serviço ao outro e não no medo e insegurança. Quando cada “ser” do time estiver lutando pelos seus ideias, seguindo seu propósito na vida, tornando-se o melhor que ele pode ser e focado em fazer o melhor possível para o próximo ele estará no caminho certo e será um grande exemplo de liderança.

    Mas para isso tem que ter uma causa, uma crença alinhada. Tem que acreditar no que está fazendo e os resultados disso para as pessoas, senão será algo superficial que não motiva por muito tempo.

    Tem um vídeo sensacional sobre isso que fala: Como os grandes líderes inspiram ação! Está no link abaixo.
    http://vodpod.com/watch/3743945-como-grandes-lderes-inspiram-a-ao?u=decidaserfeliz&c=decidaserfeliz

    Grande abraço e sucesso!

  8. Oi leandro, bacana o blog. Bom ter um espaço para trocar idéias. Aliás, não deixa de ser mais uma forma de reunir gente pensando num mesmo contexto, não é?! Ou seja, a idéia de um blog já é uma forma de trabalhar com gente, trabalhar em equipe!
    E comentando o seu post, penso que a tarefa essencial de um líder, é antes de mais nada, a de formar pessoas. Por isso é que é primordial gostar de gente. Concordo com o seu amigo, afinal, tão rara é a situação em que alguém consegue desenvolver um trabalho inteiro totalmente sozinho.
    No meu ponto de vista um trabalho em equipe deve ser pautado em reciprocidade e cooperação e aí está o papel do líder: influenciar para que isso aconteça. Conseguir a cooperação através da influência (considerando-a como habilidade de mobilizar as pessoas para fazer as coisas acontecerem) é o que faz um grande líder extraír o melhor de uma grande equipe.

    Grande abraço!
    Daniela

  9. Olá Leandro,
    Gostei muito do tema abordado em seu blog, pois a grande dificuldade existente no processo do trabalho em equipe é exatamente a percepção de atuação fundamental para a conquista do objetivo comum. Alem da importância da relação humana de troca e interação que enriquece o conhecimento favorencedo a realização de metas e objetivos como um todo.
    Conhecendo você… como conheci posso afirmar o quão coerente são suas palavras e atitudes em tudo o que comentou…
    Foi muito bom trabalhar com você!
    Um grande abraço e Sucesso!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s